Vinho da Madeira e Gastronomia

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

VINHO DA MADEIRA

Uma visita à Madeira não fica completa sem degustar o famoso Vinho Madeira -quem já o provou sabe bem do que estamos falando...

É um vinho licoroso (teor alcoólico de 17-22% vol.), onde a fermentação natural é interrompida por adição de álcool (fortificação). As garrafas devem ser guardadas na vertical e contam com uma grande longevidade.

Graças ao tipo de uva cultivada, clima e solos vulcânicos da região, o Vinho Madeira tem recebido vários prémios, ao longo dos tempos. Registos históricos referem que as exportações de Vinho Madeira, ocorrem há quase seis séculos, tendo sido este o vinho escolhido para celebrar a Independência dos EUA em 1776. Foi também referenciado por Shakespeare, e afamado mundialmente.

Sabemos que a história do Vinho Madeira começa pouco depois da descoberta da ilha da Madeira, pois existem registos históricos que provam que 25 anos após o início da sua colonização, já se faziam exportações de Vinho Madeira. Este ‘néctar dos Deuses’, que é um dos ex-líbris da Ilha da Madeira, é apreciado em todo o mundo. Foi escolhido para celebrar a Independência dos EUA a 4 de Julho de 1776, elogiado por Shakespeare em algumas das suas peças, e admirado por reis, príncipes, generais e exploradores.

O Vinho Madeira provém do fruto das vinhas, que na Madeira são cultivadas à mão em pequenos recintos de terra, conhecidos por ‘poios’, suportados por paredes de terra (terraços) nas encostas das montanhas, que são muitas vezes de difícil acesso. O solo e o clima únicos da Ilha da Madeira, tal como o processo de produção e o tipo de uva cultivada contribuíram para a distinção inigualável do Vinho Madeira ao longo dos tempos.

As Castas

Existem mais de 30 castas do vinho Madeira, no entanto, as mais nobres são a Sercial, Boal, Verdelho e Malvasia.

Dos vinhos secos destaca-se a casta Sercial. Ideal como aperitivo, este vinho de cor clara é leve e muito perfumado. O Verdelho encabeça os vinhos meio secos. Delicado, bastante perfumado e de cor dourada é o mais indicado para acompanhar refeições. Meio-doce, suave, nobre, aveludado e de cor dourada escura é a casta Boal, sendo a mais recomendada para o assado e a sobremesa. Entre refeições ou à sobremesa são poucos os que resistem à casta Malvasia, que representa o vinho doce, encorpado, de perfume intenso e cor vermelha.

Recomenda-se aos apreciadores desta ‘arte’ que visitem a Madeira em Setembro para assistir e participar nas vindimas e na Festa do Vinho Madeira, que constitui uma homenagem a este produto ancestral e reconhecido além-fronteiras.

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

GASTRONOMIA

A simplicidade gastronómica do Arquipélago da Madeira retrata a alma de um povo simples mas generoso. Ainda assim, existe uma vasta escolha de produtos regionais, de grande qualidade, que permitem a elaboração de um variado menu de especialidades gastronómicas que vão desde a cozinha regional até à cozinha internacional, passando ainda pelo gourmet.

Dada a proximidade com o mar, a maioria dos restaurantes disponibiliza excelentes pratos de marisco e de peixe fresco. Lapas grelhadas, Polvo e Camarão, nas suas variadas formas, Bifes de Atum e Filetes de Espada à Madeirense são apenas alguns exemplos das iguarias locais.

Outro prato irrecusável é a "Espetada" de carne de vaca em espeto de pau-de-louro, acompanhada de Milho Frito e do típico Bolo-do-Caco com manteiga d’alho.

Muito procurados são também o cuscuz de fabrico caseiro, a Sopa de Trigo, o pão caseiro amassado com batata-doce e a Carne de Vinha-d’alhos.

A abundância dos frutos tropicais também presta os seus exóticos paladares à confeção das mais variadas sobremesas. Como exemplos temos a manga, a banana, a pera abacate, a anona e o maracujá, que poderão ser consumidos em pudins, soufflé, mousses e gelados.

A ilha da Madeira ainda apresenta uma rica doçaria. Contudo, o doce mais típico desta ilha é o tradicional Bolo-de-Mel, considerado como o verdadeiro “ex-libris” da doçaria de Natal, confecionado com ingredientes ricos, como especiarias variadas, frutos secos e mel de cana-de-açúcar.

Muito afamada é também a queijada madeirense, elaborada a partir de requeijão fresco.

Relativamente às bebidas, os sumos de frutas naturais, como o maracujá, a papaia, a goiaba, a manga, e a célebre poncha madeirense constituem boas opções.

As diferentes castas do afamado Vinho Madeira, a saborear como aperitivo ou no final de uma refeição, apresentam-se como escolhas históricas e é, sem sombra de dúvidas, um precioso néctar dos Deuses. São mais de 30 as castas do Vinho Madeira, sendo as mais nobres o Sercial, Boal, Verdelho e Malvasia.

Venha deliciar-se com as iguarias madeirenses que, com certeza, irão ajudar a tornar a sua estadia inesquecível. Alie o prazer do convívio ao prazer de cheirar e de degustar!